Motorista perde controle em rotatória e carga de laranja tomba em Matão, SP

Matéria publicada em Novembro de 2014
Matéria publicada em Novembro de 2014

Um caminhão que transportava laranja tombou em Matão (SP), nesta terça-feira (25), na Avenida Marchesan, no distrito industrial. Este foi o terceiro acidente no mês registrado no local, segundo a Polícia Militar. O motorista perdeu o controle da direção do veículo quando passava próximo a uma rotatória. A carga tombou na lateral pista, e a PM ajudou na sinalização do trânsito para evitar novos acidentes.

O motorista do caminhão não teve ferimentos, mas foi encaminhado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao pronto-socorro para avaliações médicas. A Prefeitura de Matão informou que solicitou ao Departamento de Estradas e Rodagem (DER) um estudo sobre a rotatória e que foram feitas algumas melhorias no local, como a colocação de placas para ajudar e melhorar a sinalização.

Ainda segundo a administração municipal, o DER fará uma nova avaliação para checar a situação da rotatória. O DER informou que realizou neste ano as obras para reforço na sinalização (placas e pintura de faixas) na rotatória da avenida e que estuda melhorias para geometria da rotatória e a implantação de lombadas para controle da velocidade. “Cabe ressaltar que o limite de velocidade no local varia entre 60 km/h e 40 km/h. Por ser uma rotatória, o respeito deste limite de velocidade garantiria melhores condições de segurança aos motoristas e usuários. Assim, o DER solicitará reforço à Polícia Militar Rodoviária na fiscalização do trecho”, informou o órgão em nota.

Prejuízos
Os prejuízos causados por acidentes de trânsito envolvendo caminhões podem ser até 12 vezes maiores do que os causados pelo roubo de cargas, de acordo com uma pesquisa da Associação de Gestão de Despesas de Veículos (Agev). As perdas atingem não só os motoristas e as transportadoras, mas também os clientes.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Caminhoneiros, Claudinei Pelegrini, os custos com roubo de carga são cobertos pela apólice de seguro feita pelas empresas. No caso de acidentes, mesmo os caminhões segurados acabam trazendo custo extra. “Acabam tendo um custo adicional, que são os dias que os caminhões ficam parados e até mesmo o afastamento de funcionários que acabam ficando hospitalizados ou em casa. Isso de forma nenhuma é coberto pelo seguro”, explicou.

Fonte: G1

Your Comment: